Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A empresa com sede na Califórnia, dirigida pelo empresário Elon Musk, tem um contrato de 1,6 bilhão de dólares da SpaceX com a Nasa para enviar suprimentos a astronautas que vivem na estação espacial

(afp_tickers)

A empresa americana SpaceX lançou, nesta segunda-feira, sua cápsula de carga não tripulada Dragon para a Estação Espacial Internacional (ISS), levando uma série de experimentos científicos o mais potente computador já enviado para o espaço.

"Três, dois, um, decolar", disse um comentarista da SpaceX quando o foguete branco Falcon 9 deixou a superfície terrestre no Cabo Cañaveral, na Flórida, às 13H31.

Três minutos após o lançamento, o foguete se separou, como previsto, com a primeira parte, grande e alta, conhecida como primeira etapa, e voltou à Terra, e a segunda etapa seguiu para sua viagem no espaço.

A primeira etapa do foguete acionou seus propulsores e suas aletas se apoiaram no solo de Cabo Cañaveral, numa aterrizagem vertical e controlada na Landing Zone 1.

"X marca o lugar de outra aterrizagem perfeita", disse o comentarista da SpaceX.

A empresa com sede na Califórnia, dirigida pelo empresário Elon Musk, aterrizou con sucesso múltiplos foguetes em terras e plataformas marítimas, como parte de seu esforço contínuo para reutilizar os caros componentes das naves em vez de se desfazer deles no oceano.

Pouco depois, a SpaceX confirmou que o Dragon tinha chegado bem à órbita correta da Terra. Ele vai chegar à ISS na quarta-feira.

Essa é a 12ª missão de viagens de abastecimento de um contrato de 1,6 bilhão de dólares da SpaceX com a Nasa para enviar suprimentos a astronautas que vivem na estação espacial.

Dessa vez, a cápsula de carga transporta 2.900 quilos de suprimentos, inclusive o sofisticado supercomputador feito pela companhia americana Hewlett Packard Enterprise (HPE).

O objetivo é testar o computador durante um ano para ver se ele funciona nas duras condições do espaço, aproximadamente a mesma quantidade de tempo que os astronautas levariam para chegar a Marte.

Se sobreviver à intensa radiação espacial, esse computador poderia ajudar a tripulação a operar em missões de longa duração e a distâncias maiores.

A Nasa disse que espera enviar aos primeiros astronautas a Marte na década de 2030.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP