Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foto da NasaTV mostra decolagem da SpaceX Falcon 9, em 14 de abril de 2015

(afp_tickers)

A última tentativa da SpaceX de reciclar o foguete Falcon 9 aterrissando-o suavemente em uma plataforma offshore falhou novamente nesta terça-feira, logo após o lançamento bem-sucedido da cápsula Dragon para sua sexta missão do abastecimento.

O foguete Falcon 9 decolou como programado às 17h10 (horário de Brasília) a partir de sua plataforma de lançamento no centro da Força Aérea de Cabo Canaveral, Flórida (sudeste dos Estados Unidos), perto do Centro Espacial Kennedy, na segunda-feira, após um atraso devido às condições meteorológicas adversas.

De acordo com os planos, a Dragon chegará à Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) na sexta-feira de manhã.

Mas a missão fracassou em outro sentido. A empresa com sede na Califórnia planejava recuperar o primeiro andar do foguete Falcon 9, controlando sua descida e o fazendo pousar em uma plataforma flutuante no Atlântico, a várias centenas de quilômetros da costa da Flórida.

De fato, "o foguete aterrissou no barco-robô, mas de forma muito violenta para sua sobrevivência", escreveu no Twitter o dono da SpaceX, Elon Musk, depois que a cápsula de carga foi lançada com sucesso, levando água e comida, rumo à ISS.

Atualmente, os restos do foguete estão espalhados no oceano e não podem ser reutilizado para outro voo.

O empresário da internet e bilionário Elon Musk quer revolucionar a indústria espacial fazendo com que estes equipamentos sejam reutilizáveis ​​para voos espaciais comerciais - o que permitiria poupar milhões de dólares, já que os foguetes de lançamento são sempre descartados.

Sua primeira tentativa ocorreu em 10 de janeiro, quando o motor chegou à plataforma, mas se partiu em vários pedaços, enquanto em fevereiro a SpaceX teve que renunciar a tentativa porque o mar estava muito agitado.

De qualquer forma, Musk havia estimado na segunda-feira no Twitter, pouco antes do lançamento, que as "chances de sucesso continuam sendo menores que 50%".

A cápsula Dragon entregará à Nasa duas toneladas de suprimentos (alimentos e água) e materiais para experiências científicas em microgravidade. A nave permanecerá na estação durante cerca de cinco semanas, para que os astronautas coloquem equipamentos que devem voltar à Terra.

AFP