Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Uma planta de maconha é vista em Caloto, Colômbia, no dia 23 de maio de 2016

(afp_tickers)

O Sri Lanka colocará em produção sua primeira plantação oficial de maconha para abastecer o mercado da medicina tradicional e exportar aos Estados Unidos e a outros países, anunciou nesta quarta-feira o ministro da Saúde do país asiático.

Rajitha Senaratne indicou que a plantação de cannabis, com uma extensão de 40 hectares, que poderá produzir mais de 25 toneladas por ano, estará sob controle militar, e será capaz de assegurar um abastecimento regular e de alta qualidade.

"Muitos médicos que praticam a 'ayurveda' (medicina tradicional) se queixaram porque não contam com cannabis de qualidade para suas preparações", disse Senaratne a jornalistas.

"A boa cannabis é um ingrediente essencial nas preparações da medicina tradicional", explicou.

Até agora, o mercado tradicional de ervas medicinais era abastecido de produtos de traficantes confiscados por tribunais.

"Mas, quando nossos médicos tradicionais obtém a cannabis, esta já tem entre quatro e cinco anos de antiguidade, e perdeu sua eficácia", acrescentou Senaratne.

Além disso, destacou que o governo espera poder exportar o excedente da sua plantação, situada em Ingiriya, 60 km ao sudeste de Colombo.

"Me disseram que existe uma grande demanda nos Estados Unidos e em outros países, onde a cannabis é utilizada pela indústria farmacêutica para a fabricação de tranquilizantes e analgésicos", acrescentou.

No Sri Lanka, fumar ou estar em posse de maconha é ilegal.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP