Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder opositor e senador Aécio Neves

(afp_tickers)

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a abertura de uma investigação contra o líder da oposição Aécio Neves, para determinar se o senador foi beneficiado por um esquema de corrupção em Furnas.

O STF aceitou o pedido do procurador-geral Rodrigo Janot para investigar o senador do PSD) "por eventuais delitos de corrupção passiva e lavagem de dinheiro".

O pedido de investigação foi feito depois das denúncias apresentadas pelo ex-senador Delcídio do Amaral, ex-líder do Partido dos Trabalhadores (PT).

A delação premiada de Delcídio do Amaral provocou um terremoto político, ao citar a presidente Dilma Rousseff, seu antecessor Luiz Inácio Lula da Silva, assim como o vice-presidente Michel Temer e Neves.

Temer deve assumir a presidência depois que o Senado votar o afastamento provisório de Dilma Rousseff para julgá-la por suposta maquiagem das contas públicas.

Em sua delação, Amaral afirmou que Aécio Neves se beneficiou "sem dúvidas" de um esquema de subornos em Furnas, no qual estariam envolvidas as mesmas empreiteiras que participaram no escândalo de corrupção da Petrobras, que provocou prejuízos de mais de dois bilhões de dólares.

No pedido de investigação contra Neves, o procurador-geral também menciona a existência de mecanismos criados para "manter e ocultar valores no exterior", mais precisamente na Suíça e em Lichtenstein.

AFP