Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro Edson Fachin em Brasília, no dia 18 de amio de 2017

(afp_tickers)

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a transferência de Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor do presidente Michel Temer, para o regime de prisão domiciliar, nesta sexta-feira.

O ministro responsável pelo caso no STF, Edson Fachin, decidiu libertar o "homem da mala" de Temer da prisão.

Rocha Loures terá que usar uma tornozeleira eletrônica e vai passar as noites e os fins de semana dentro de casa.

Ele não poderá ter contato com outros investigados e tampouco deixar o país. Por isso, terá que entregar seu passaporte, diz o texto do magistrado ao qual a AFP teve acesso.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Rocha Loures e Temer por corrupção passiva. Ele estava preso desde 3 de junho.

A relação próxima do ex-deputado com o mandatário gerou especulações sobre um eventual deleção premiada de Loures.

Temer afirma que as acusações são uma "ficção" montada por Janot.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP