Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O movimento "Tehreek-e-Taliban Paquistão (TTP) confirma a morte como mártir de Khalifa Umar Mansoor", afirmou um porta-voz do TTP em mensagem à imprensa

(afp_tickers)

Um líder insurgente, considerado o mentor de dois massacres cometidos em instituições educacionais de Peshawar, em 2014, e Charsadda, em 2016, que deixaram mais de 150 vítimas fatais, foi morto, indicaram os talibãs paquistaneses nesta quarta-feira (18).

O movimento "Tehreek-e-Taliban Paquistão (TTP) confirma a morte como mártir de Khalifa Umar Mansoor", afirmou um porta-voz do TTP, Mohammad Khurasani, em mensagem à imprensa.

A mensagem não detalha a data e as circunstâncias da morte do líder talibã, mas o anúncio foi feito pouco depois dos ataques com drones americanos na zona fronteiriça entre Paquistão e Afeganistão, que causaram mais de 25 mortos, entre eles combatentes da rede extremista Haqqani, no início da semana.

Nem o Exército, nem o governo paquistanês comentaram a informação.

O TTP detalha que Umar Mansoor será substituído pelo "Khalifa Usman Mansoor em Darra Adam Khel e Peshawar".

Além do ataque da escola de Peshawar, o mais violento da história do país, com um balanço de 134 alunos mortos, Umar Mansoor reivindicou outro massacre na universidade de Charsadda, em janeiro de 2016, no qual morreram 21 pessoas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP