Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2008) Funcionários limpam o rio Tibú após um vazamento de óleo cru no departmento Norte de Santander

(afp_tickers)

Supostos guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) dinamitaram o oleoduto Caño Limón-Coveñas, o principal da Colômbia, e causaram um vazamento de óleo cru que afetou a vegetação de uma área rural do departamento de Arauca, confirmou o Exército neste domingo.

O ataque aconteceu às 15h locais de ontem, informou uma fonte militar à AFP. O atentado foi realizado por integrantes da comissão Ernesto Che Guevara do ELN, que usaram um artefato artesanal colocado sobre o oleoduto.

O general Luis Murcia, comandante da Oitava Divisão do Exército, informou à imprensa local que o vazamento afetou a vegetação do local, mas não atingiu nenhuma fonte hídrica.

Tropas foram enviadas à região para garantir a segurança de técnicos da petroleira estatal Ecopetrol, que irá realizar os reparos.

Segundo estatísticas da Ecopetrol, já houve 32 ataques ao oleoduto este ano, que afetaram áreas dos departamentos de Arauca, Boyacá, Norte de Santander e Cesar.

Um relatório recente da estatal aponta que, nos últimos 17 anos, os ataques ao oleoduto deixaram 167 mortos, 584 feridos e 66 milhões de galões de cru derramados.

O ELN, única guerrilha em atividade na Colômbia, e que se encontra em negociações de paz com o governo, focou historicamente suas ações em sabotar a infraestrutura elétrica, petroleira e de mineração do país, principalmente este importante oleoduto, de 780 km de extensão.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP