Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A Suprema Corte do Peru, em Lima, no dia 23 de fevereiro de 2010

(afp_tickers)

A Suprema Corte do Peru rejeitou nesta quinta-feira os apelos a fazer justiça com as próprias mãos, no momento em que crescem os casos de assalto e as tentativas de linchamento no país.

"Fazer justiça com as próprias mãos, por maior que sejam as justificativas para tal, não contribui com a solução do problema da criminalidade", assinala o comunicado do Supremo.

As autoridades judiciais exortam os peruanos a recorrer à polícia e a respeitar o Estado de direito, já que do contrário, "tais atos apenas conseguirão deslegitimar mais as instituições políticas e jurídicas, conduzindo à ruptura do pacto social que nos permite conviver em sociedade".

Os apelos para linchar os delinquentes começaram a circular há uma semana nas redes sociais.

Segundo pesquisa realizada em julho, 76% dos peruanos se sentem inseguros diante da criminalidade.

AFP