O suspeito alemão que matou duas pessoas em um ataque contra uma sinagoga na cidade de Halle (leste) admitiu suas motivações antissemitas e sua orientação de direita, disseram fontes judiciais na sexta-feira (11).

Stephan Balliet, de 27 anos, fez uma "confissão detalhada" durante um interrogatório que durou algumas horas, disse um porta-voz da procuradoria federal em Karlsruhe.

"Deu uma amplia confissão. Confessou motivos antissemitas e de extrema direita", apontou o porta-voz.

O governo alemão alertou na noite de sexta-feira que o risco de atentado continua sendo "elevado".

"A ameaça do terrorismo de extrema direita e o antissemitismo é elevado", explicou o ministro do Interior, Horst Seehofer.

Isso significa que um ataque com essas características pode acontecer "a qualquer momento", acrescentou.

Balliet, armado e com explosivos, tentou na quarta-feira entrar na sinagoga de Halle, onde havia dezenas de fiéis com motivo da festa religiosa do Yom Kippur.

Ao não conseguir isso, saiu à rua e disparou ao azar contra uma mulher e um homem, este último em um restaurante de cozinha turca.

Ferido no pescoço, foi capturado horas mais tarde pelas forças de segurança.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.