A Comissão Eleitoral da Tailândia enviou nesta quarta-feira à Corte Constitucional o caso do partido político que apresentou a irmã do rei como candidata ao cargo de primeira-ministra, o passo inicial para a dissolução do partido.

A comissão afirma em um comunicado que apresentar a princesa Ubolratana como candidata ao posto de chefe de Governo deve ser interpretado como um gesto "hostil a respeito da monarquia constitucional".

Por este motivo, a comissão pede à Corte Constitucional para "dissolver o partido Thai Raksa Chart", aliado do ex-premier Thaksin Shinawatra, rival dos militares que governam o país.

"Lamento que minha intenção, que era dar minha ajuda ao país e a meus compatriotas tailandeses, tenha provocado um problema. Não deveria ser o caso em nossa época", afirmou a princesa em uma mensagem publicada na terça-feira à noite no Instagram.

A dissolução do Thai Raksa Chart seria um duro golpe para Thaksin Shinawatra.

Derrubado em 2006 e hoje no exílio, o milionário esperava voltar à política tailandesa com o novo partido.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.