AFP

Cerca de 725.000 turistas foram ao arquipélago, localizado muito distante da praia de Phuket, no período entre outubro de 2016 e fevereiro de 2017

(afp_tickers)

A Tailândia interrompeu nesta terça-feira o acesso a várias ilhas, visitadas a cada ano por milhares de turistas, para permitir a regeneração dos recifes de corais, danificados pela grande quantidade de mergulhadores.

Este é o quarto ano consecutivo que o reino do turismo de massa realiza esta operação, entre meados de maio e meados de outubro, "para permitir que os corais e a natureza se recomponham", declarou à AFP Ruamsilp Manajongpreasert, diretor do Parque Nacional das Ilhas Similan, muito visitadas pela beleza de suas águas.

Cerca de 725.000 turistas foram ao arquipélago, localizado muito distante da praia de Phuket, no período entre outubro de 2016 e fevereiro de 2017.

Neste espaço, que corresponde à alta temporada na Tailândia, cerca de nove milhões de visitantes chegaram aos diferentes parques nacionais do país.

Do total de 154 parques, 61 ficarão fechados, entre eles 25 marinhos, inclusive os localizados nas ilhas paradisíacas do sul, como o arquipélago de Similan, além das ilhas turísticas como Koh Lanta.

A Tailândia recebe a cada ano 30 milhões de turistas, que costumam observar os peixes com máscaras de mergulho. Mas o fluxo turístico degrada os recifes de corais.

O fechamento permanecerá até 14 de outubro, a tempo de reabrir para a alta temporada de turismo, setor-chave da economia tailandesa.

AFP

 AFP