Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Colunas de fumaça enquanto iraquianos avançam pela cidade de Tal Afar

(afp_tickers)

A cidade de Tal Afar é um importante enclave entre Mossul e Síria, e priva o grupo extremista Estado Islâmico (EI) de uma localidade estratégica para seu autoproclamado "califado".

- Geografia e história -

A cidade está situada a 450 quilômetros ao noroeste de Bagdá e a 70 quilômetros a oeste da segunda cidade do Iraque, Mossul, recuperada recentemente das mãos do EI.

A história de Tal Afar se remonta a milhares de anos, pois durante um período ela fez parte do Império Assírio. É dominada por uma cidadela da época Otomana, que foi destruída em 2014 com a entrada dos extremistas.

- População -

Antes de o EI a invadir no verão de 2014, Tal Afar contava com 200.000 habitantes, em grande parte composta pela minoria turcomana.

A cidade era um enclave principalmente xiita na província de Nínive, de maioria sunita, e a ocupação extremista agravou as divisões religiosas entre xiitas e sunitas.

O EI tomou como alvo os xiitas de Tal Afar, e os membros da minoria sunita da cidade se juntaram à organização formando um contingente particularmente violento.

- Estratégica -

Tal Afar se localiza entre Mossul e a fronteira com a Síria, no território do autoproclamado "califado" em 2014.

As forças do governo expulsaram os extremistas de Mossul no início de julho. Como Mossul, Tal Afar caiu nas mãos do EI em 2014, durante o avanço que lhe permitiu se apoderar de quase um terço do território iraquiano.

Esta reconquista é estratégica na ofensiva contra o EI, já que era, sobretudo, um lugar de passagem e abastecimento de armas e homens entre Iraque e Síria.

A Turquia tem acompanhado especialmente de perto a situação em Tal Afar, devido à presença de turcomanos, muitos dos quais falam turco, e pela proximidade de Tal Afar de seu território.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP