Navigation

Temer convoca nova reunião por tensão na fronteira com Venezuela

Moradores da localidade de Pacaraima incendeiam acampamento de migrantes venezuelanos em 18 de agosto de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 20. agosto 2018 - 15:50
(AFP)

O presidente Michel Temer convocou nesta segunda-feira (20) uma nova reunião com sete ministros para "buscar soluções" após os confrontos vistos neste fim de semana entre brasileiros e imigrantes venezuelanos em uma cidade fronteiriça.

De acordo com informação da Agência Brasil, para a reunião, prevista para as 15h00, foram convocados o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, de Direitos Humanos, Gustavo Rocha, e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, entre outros.

Temer já se reuniu de urgência com vários ministros no domingo para analisar os incidentes de sábado em Pacaraima, cidade de 12.000 habitantes em Roraima, quando moradores atacaram dois acampamentos de imigrantes forçando-os para voltar a seu país.

O governo brasileiro resolveu enviar à região 120 efetivos da Força Nacional para reforçar a segurança e 36 voluntários para atender a área de saúde.

Nesta segunda, a governadora de Roraima, Suely Campos, advertiu que as medidas adotadas pelo governo Temer "vão aliviar os impactos" para a população, "mas não resolvem o problema".

E lembrou que o governo de Roraima solicita há mais de um ano a Brasília mais recursos econômicos, de saúde, policiais e educativos para enfrentar a onda migratória de venezuelanos que fogem da grave crise econômica, política e social vivida por seu país.

Os incidentes de sábado foram desencadeados após o assalto a um comerciante que ficou ferido. Os moradores de Pacaraima culparam os venezuelanos e, em retaliação, os perseguiram até a linha divisória.

Segundo as autoridades, após esses distúrbios em Pacaraima, vizinha da venezuelana Santa Elena de Uairén, cerca de 1.200 venezuelanos retornaram ao seu país.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.