Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Texas se prepara para a chegada de Harvey

(afp_tickers)

A tempestade tropical Harvey se transformou nesta quinta-feira em um furacão de categoria um e ameaça milhares de pessoas nas costas do Texas e de Luisiana.

O Centro Nacional de Furacões (NHC) alertou sobre a possibilidade de inundações "fatais" provocadas por este furacão, atualmente de categoria um, que deve chegar à costa na sexta-feira.

O NHC informou que Harvey poderia tocar terra como um furacão de categoria três, muito mais poderoso, com ventos de até 209 km por hora.

Também se espera que Harvey provoque inundações em Nova Orleans, no estado vizinho de Luisiana, onde o devastador furacão Katrina causou a morte de mais de 1.800 pessoas em 2005.

"Poderíamos ver algumas inundações localizadas", disse o prefeito de Nova Orleans, Mitch Landrieu, em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, informando, ainda, que várias equipes de resgate estavam se preparando para a eventualidade, mas que ainda não foram previstas evacuações.

"Só precisamos garantir que estejamos preparados para uma forte chuva este fim de semana", disse Landrieu.

Uma tempestade é catalogada como furacão de categoria um quando registra ventos de ao menos 119 km/h.

Está previsto que Harvey provocará cerca de 75 centímetros de chuva em algumas partes do Texas.

Apesar de que ainda faltam horas para que Harvey toque terra, o governador Greg Abbott lançou alertas de desastre em 30 condados, afirmando que esta medida preventiva permitiria que "o Texas implemente rapidamente recursos para responder à emergência".

Funcionários do governo de Houston, a maior cidade por onde o furacão passará, disseram que não havia previsão de evacuações, mas que são esperadas fortes chuvas que podem se prolongar por até cinco dias.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP