Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem de satélite mostra a tempestade tropical Iselle chegando ao Havaí, assim como o furacão Julio.

(afp_tickers)

O Havaí amanheceu nesta sexta-feira com fortes ventos e chuvas que provocaram cortes de energia e queda de árvores devido à aproximação de uma combinação pouco comum de dois furacões a estas ilhas do Pacífico.

Ilha Grande, a principal ilha no extremo sul desta cadeia vulcânica, se preparava para a chegada de Iselle, cuja força foi rebaixada a tempestade tropical num momento em que está prestes a tocar terra, informou o Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC).

Em uma situação incomum, Iselle é seguida por outro fenômeno mais forte, o furacão de categoria 3 Julio, com ventos sustentados máximos de 195 km/h.

O olho da tempestade tropical Iselle está a 80 km de Hilo, em Ilha Grande, mas a zona é atingida por fortes chuvas, cortes de energia e várias de suas árvores foram arrancadas.

As autoridades pediram que a população permaneça em suas casas, fechou todas as instalações públicas que não fossem de emergência e enviou os trabalhadores de volta para casa mais cedo nesta sexta-feira. Em caso de evacuações, foi decidido que as escolas servirão de refúgio.

As autoridades de Maui, a segunda principal ilha do Havai, com 150.000 habitantes e que recebe 2,5 milhões de turistas por ano, proibiram atividades como banho, navegação e mergulho.

Embora a Iselle tenha sido rebaixada a tempestade tropical, se deslocava com ventos sustentados de 112 km/h, disseram meteorologistas do CPHC em seu último boletim, antes de acrescentar que seguiria se enfraquecendo nos próximos dois dias.

Julio, o quarto furacão na temporada no leste do Pacífico, estava 1.600 km a leste de Hilo, declarou o CPHC, e está previsto que passe perto das ilhas.

AFP