Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tempestade Arthur se aproxima de Manhattan, em Nova York, em 2 de julho de 2014

(afp_tickers)

A tempestade tropical Douglas continuava avançando no Pacífico, nesta quarta-feira, afastando-se da costa do noroeste do México, enquanto a tempestade Elida se enfraqueceu - informaram as autoridades, acrescentando que três pessoas morreram durante as fortes chuvas.

As violentas precipitações, que já castigam há vários dias o noroeste de México, provocaram enchentes e corte no abastecimento de energia elétrica em Ciudad Juárez, assim como um deslizamento que provocou a morte de uma mulher e de seus filhos de três e cinco anos na manhã desta quarta-feira, revelou o chefe local da Defesa civil, Fernando Motta Allen.

Dezenas de famílias "estão situadas em uma zona de alto risco e, há anos, são alertadas a deixar o setor", motivo pelo qual serão transferidas para um abrigo, acrescentou.

A tormenta tropical Douglas "mantém seu deslocamento para o noroeste, afastando-se da costa do México", com ventos máximos constantes de 75 km/h e rajadas de até 95 km/h, revela o último boletim do Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

Já a tormenta tropical Elida, que se formou na segunda-feira, perdeu força até alcançar o grau de "baixa pressão remanente" frente à costa do oeste do México, acrescentou a instituição.

Apesar do afastamento do Douglas e do enfraquecimento de Elida, ainda se prevê fortes chuvas relacionadas a esses fenômenos no noroeste, oeste e centro do México, assim como um aumento da maré na faixa Pacífico do país.

No final de maio, Amanda, o primeiro furacão da temporada 2014 (que vai até final de novembro), provocou a morte de três pessoas em Michoacán e Guerrero.

Em 2013, o México sofreu com os furacões Ingrid (Golfo do México) e Manuel (Pacífico), cujo impacto deixou 157 mortos e pelo menos 1,7 milhão de desabrigados.

AFP