Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma viatura foi incendiada, dois oficiais ficaram ligeiramente feridos e três pessoas foram presas em meio a protestos, detalhou o centro universitário localizado em Atlanta, na Geórgia

(afp_tickers)

Confrontos mantiveram a situação tensa em um campus universitário dos Estados Unidos entre a noite de segunda-feira e a manhã desta terça, depois que a polícia matou um estudante em circunstâncias polêmicas.

Durante uma vigília em homenagem a Scout Schultz, um jovem de 21 anos que sofria de problemas mentais, 50 manifestantes marcharam até a delegacia de polícia de Georgia Tech, onde ocorreram confrontos, informou a universidade em comunicado.

Uma viatura foi incendiada, dois oficiais ficaram ligeiramente feridos e três pessoas foram presas em meio a protestos, detalhou o centro universitário localizado em Atlanta, na Geórgia.

Schultz, que cursava o quarto ano de Engenharia e militava pela causa LGBT, tinha propensão a transtornos depressivos e deixou notas em seu quarto relacionadas ao seu desejo de suicídio.

No sábado à noite, o jovem ligou para os serviços de emergência e descreveu - dando suas próprias características físicas - um homem que agia de forma suspeita no campus.

Quando os policiais chegaram, encontraram Schultz fora do alojamento universitário caminhando descalço e muito desorientado.

A cena foi captada por um vídeo, no qual ouve-se os policiais ordenando a soltar o que tinha em suas mãos que, segundo a família disse depois, era uma espécie de ferramenta, e o jovem pedindo que atirassem.

O confronto terminou com um disparo policial, enquanto o rapaz continuava avançando até os agentes, que deixaram o estudante mortalmente ferido.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP