Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Tropas chinesas marcham durante desfile militar do dia nacional da independência do Paquistão, em Islamabad, em 23 de março de 2017

(afp_tickers)

Um funcionário militar terceirizado dos Estados Unidos e ex-funcionário do Departamento de Estado foi detido, nesta quinta-feira (22), por agentes da Contra-Inteligência americana acusado de espionar para a China.

Segundo o Departamento de Justiça, Kevin Mallory, de Leesburg, na Virgínia, vendeu documentos a agentes da Inteligência chinesa em viagens realizadas em março e abril a Xangai.

Mallory pode ser condenado à prisão perpétua, se for declarado culpado.

A fonte e o conteúdo dos documentos não foi divulgada, mas a informação foi catalogada como "informação militar". Por esse material, recebeu US$ 25 mil.

"Teu objetivo é obter informação, e o meu, ter um pagamento", teria dito Mallory aos chineses, em mensagem de 5 de maio, segundo a acusação.

Mallory, de 60 anos, é fluente em mandarim. Serviu no Exército americano e também trabalhou como agente especial do serviço de segurança do Departamento de Estado, antes de atuar, de forma terceirizada, para várias agências do governo.

AFP