AFP

O cineasta britânico Terry Gilliam

(afp_tickers)

O cineasta britânico Terry Gilliam anunciou nas redes sociais ter concluído as filmagens, na Espanha e em Portugal, de seu filme "O homem que matou Dom Quixote", iniciadas há 17 anos.

"Depois de 17 anos, terminamos de filmar The Man Who Killed Don Quixote", escreveu no domingo o cineasta de 76 anos nas redes sociais Twitter e Facebook.

"Muchas gracias (muito obrigado) a toda a equipe e aos fiéis. Don Quixote está vivo!", comemorou o diretor de "Brazil - O filme" e "Os Doze Macacos", aliviado após concluir esta etapa do projeto que se arrasta há quase duas décadas.

Uma primeira tentativa de adaptar o romance do século XVII do espanhol Miguel de Cervantes - com o americano Johnny Depp e os franceses Jean Rochefort e Vanessa Paradis - havia fracassado em 2000 na Espanha, sob o peso de uma série de desastres.

Na nova versão, o ator americano Adam Driver ("Star Wars: O Despertar da Força", "Paterson") encarna um publicitário que retorna para a Espanha e encontra um homem que pensa que é Don Quixote (interpretado pelo britânico Jonathan Pryce).

A atriz francesa de origem ucraniana Olga Kurylenko também faz parte do elenco, que mudou várias vezes ao longo dos anos.

Em novembro de 2000, Gilliam precisou parar as filmagens por uma série de razões.

Chuvas torrenciais transformaram o set de gravação em um verdadeiro pântano. Quanto ao ator francês Jean Rochefort - que deveria ser Don Quixote - sofreu uma hérnia de disco que o impedia de andar a cavalo.

AFP

 AFP