Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O secretário do Tesouro americano, Steve Mnuchin, em Washington DC, em 27 de julho de 2017

(afp_tickers)

O Tesouro dos Estados Unidos anunciou, nesta quinta-feira (14), novas sanções contra o Irã, centradas em 11 entidades e pessoas que apoiam a Guarda Revolucionária ou envolvidas em ataques cibernéticos contra o sistema financeiro americano.

"Todos os bens e interesses das entidades e pessoas em questão serão congelados, e os cidadãos americanos serão proibidos de comercializar com elas", indica o Tesouro em um comunicado, indicando que um dos organismos sancionados apoia o programa iraniano de mísseis balísticos.

"O Tesouro vai continuar aplicando severas sanções diante das provocações do Irã, entre elas, o respaldo aos Guardiões da Revolução (tropa de elite do regime) e aos terroristas extremistas", declarou o secretário de Tesouro Steven Mnuchin, citado no comunicado.

Mnuchin detalhou que as sanções miram "uma empresa iraniana que fornece material ao programa de mísseis balísticos, companhias aéreas que garantem o transporte de combatentes e armas na Síria e piratas informáticos que cometeram ciberataques contra instituições financeiras americanas".

Em paralelo, nesta quinta-feira, o presidente Donald Trump deve decidir se prolonga a suspensão de sanções econômicas ao Irã, relacionadas com o acordo sobre o programa nuclear da república islâmica no ano passado entre Teerã e seis grandes potências.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP