Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Embaixada dos Estados Unidos em Havana, onde ao menos 16 funcionários americanos sofreram um ataque acústico

(afp_tickers)

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, anunciou neste domingo (17) que os Estados Unidos "estão avaliando" um possível fechamento de sua embaixada em Cuba depois dos misteriosos ataques acústicos que afetaram pelo menos 16 funcionários.

A possibilidade "esta sendo avaliada. Trata-se de um assunto muito sério pelo dano sofrido por algumas pessoas. Alguns deles foram repatriados", declarou o chefe da diplomacia americana em entrevista à emissora CBS neste domingo de manhã.

A embaixada dos Estados Unidos em Havana reabriu suas portas em 2015 durante a administração do presidente democrata Barack Obama, após meio século de ruptura de relações diplomáticas entre os dois países.

Desde o fim de 2016, 16 funcionários americanos da embaixada manifestaram sintomas físicos, sobretudo perda de audição, enxaqueca e náuseas, fazendo com que precisassem de atendimento médico, alguns deles nos Estados Unidos, segundo o Departamento de Estado.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP