Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, com o ministro das Relações Exteriores de Omã, Yusuf bin Alawi-bin Abdullah, no Departamento de Estado dos EUA, em 21 de julho de 2017, em Washington DC

(afp_tickers)

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, negou na quarta-feira relatos da mídia de que ele planeja renunciar ao cargo devido a um desacordo com a Casa Branca.

"Não vou a lugar nenhum", disse Tillerson a repórteres ao receber o chanceler catariano, o xeque Mohamed bin Abdulrahman Al-Thani.

Tillerson descreveu sua relação com o presidente Donald Trump como "boa" e destacou que permanecerá no cargo "enquanto o presidente permitir".

A permanência de Tillerson à frente da diplomacia americana foi alvo de muitas especulações esta semana em Washington, após uma matéria emitida pela rede CNN.

Segundo a CNN, entre as crescentes diferenças entre Tillerson e a Casa Branca, há um debate recente sobre a política em relação ao Irã, o processo de nomeação do pessoal da Casa Branca e a abordagem caótica e confusa da política externa de Trump.

A rede de televisão citou fontes anônimas que afirmam que Tillerson disse a pessoas próximas que abandonaria o cargo até o final do ano.

A porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, negou na terça-feira que Tillerson planeje renunciar, e disse que ele vai tirar alguns dias de descanso após uma visita a países do Golfo, em julho, para tentar colocar fim a uma crise diplomática entre o Catar e a Arábia Saudita.

Desde que assumiu o comando do Departamento de Estado, em fevereiro, o ex-presidente da petroleira ExxonMobil foi criticado pelo seu perfil discreto e seu plano de recortar em 30% o orçamento de uma agência que emprega mais de 70.000 pessoas em Washington e no mundo todo.

AFP