Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um foguete Soyuz com três astronautas a bordo decolou nesta sexta-feira (28) do cosmódromo de Baïkonur, Cazaquistão, com destino à Estação Espacial Internacional (ISS), para uma missão de cinco meses

(afp_tickers)

Três astronautas -dos Estados Unidos, Rússia e Itália- se juntaram nesta sexta-feira à tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS) para uma missão de cinco meses, indicou a Nasa.

De acordo com imagens da televisão divulgadas ao vivo pela agência espacial russa Roskosmos, a tripulação integrada pelo americano Randy Bresnik, pelo russo Sergueï Riazanski e pelo italiano Paolo Nespoli decolou às 15H41 GMT (12H41 de Brasília) a bordo do foguete Soyouz MS-05.

Seis horas mais tarde, após orbitar quatro vezes a Terra, a nave se acoplou à Estação Espacial.

Os três homens se juntaram no laboratório orbital ao atual comandante russo Fiodor Yurchijin, e aos astronautas americanos Peggy Whitson e Jack Fischer.

Pela primeira vez desde abril, a ISS contará com uma tripulação de seis pessoas a bordo.

"Querida Terra, te deixo hoje por um tempo, irei saborear a vista que terei de você quando te observar lá de cima, esta noite", tuitou Randy Bresnik.

"Beam me up... Soyuz" ("Me teletransporte para órbita... Soyuz"), escreveu em seu Twitter o italiano Nespoli, retomando uma das frases que marcou a lendária série Star Trek.

Nespoli, de 60 anos, pertence à geração que cresceu vendo Star Trek enquanto observava as transmissões dos primeiros voos à Lua.

"Há muitas experiências científicas a fazer", declarou entusiasmado Bresnik, em coletiva na quinta-feira.

Também saudou o trabalho de seus colegas já presentes na ISS: "Trabalham muito, muito bem. Têm uma técnica e um bom ritmo", afirmou o astronauta de 49 anos.

Sergueï Riazanski destacou na quinta-feira as experiências que realizará durante a sua estadia no laboratório orbital.

"O programa de nossas saídas [ao Espaço] é principalmente científico. Vamos tirar satélites, equipamentos científicos, fazer testes de presença de micróbios fora da estação", disse.

Com três saídas ao espaço, o astronauta russo de 42 anos afirmou que "teve a incrível experiência de viver no espaço. Para mim, cheira a enxofre. Um odor metálico", declarou.

AFP