Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2014) Médicos atendem um paciente com ebola em Serra Leoa, em um centro de tratamento dirigido pela Cruz Vermelha

(afp_tickers)

Três novos casos de Ebola foram descobertos numa cidade do norte de Serra Leoa que já foi colocada em quarentena após a morte de uma mulher de 67 anos - anunciaram nesta terça-feira as autoridades sanitárias.

Estes três novos casos, elevando a cinco o total na cidade de Sella Kafta - contando com a mulher morta no final de agosto - foram identificados na segunda-feira, explicou aos jornalistas o porta-voz do Centro Nacional de Luta contra o Ebola (NERC), Sidi Yahya Tunis.

Todos faziam parte das 50 "pessoas de alto risco" identificadas como próximas à mulher que sucumbiu ao vírus, ressaltou.

"O risco de epidemia continua uma preocupação, mas como estes casos foram identificados num local em quarentena, será facilmente monitorado para prevenir outras contaminações", garantiu.

Uma sobrinha da mulher morta, considerada como "pessoa de alto risco", continuava sendo observada.

Nenhum dos novos casos aparece entre a centena de habitantes que participaram, desde a semana passada, de uma campanha de imunização com uma vacina testada com sucesso na Guiné, informou o NERC.

Um pouco antes destes novos casos, Serra Leoa esperava estar em vias de erradicação do vírus após a saída do hospital, em 24 de agosto em Makeni, da última paciente de Ebola de que se tinha conhecimento, após mais de duas semanas sem notícias de novas contaminações.

A epidemia de Ebola no oeste da África - a mais grave desde a identificação do vírus na África central em 1976 - começou em dezembro de 2013 no sul da Guiné. Desde então, deixou mais de 11.300 mortos em cerca de 28.000 casos, um balanço subestimado segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

AFP