Navigation

Três palestinos mortos em ataque israelense antes da trégua

Menino palestino passa de bicicleta diante de prédio destruído em Gaza por ataque israelense antes do início do cessar-fogo de cinco horas afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. julho 2014 - 10:24
(AFP)

Três palestinos morreram nesta quinta-feira em um ataque de tanque israelense contra uma casa de Rafah, sul da Faixa de Gaza, pouco antes da entrada em vigor de uma trégua humanitária de cinco horas.

Quatro pessoas ficaram gravemente feridas no ataque, anunciou Ashraf al-Qudra, porta-voz dos serviços de emergência de Gaza.

O ataque aconteceu minutos antes do início do cessar-fogo de cinco horas. Desde o início da operação israelense em Gaza, em 8 de julho, 230 palestinos morreram, segundo os serviços de emergência palestinos.

O exército israelense e o movimento islamita Hamas confirmaram pouco depois o início, às 10H00 locais (4H00 de Brasília), de uma trégua humanitária de cinco horas solicitada pela ONU.

"O exército suspende os ataques até 15H00 (9H00 de Brasília) para observar uma trégua humanitária", anunciou a força militar no Twitter.

Na mensagem o exército afirma que responderá caso o Hamas não respeite a trégua.

O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, também confirmou a interrupção dos lançamentos de foguetes contra Israel.

Antes do início da trégua, o exército israelense informou que impediu uma tentativa de entrada em seu território de um comando palestino através de um túnel a partir de Gaza e matou um de seus integrantes.

"As forças israelenses localizaram 13 terroristas que entravam em Israel por um túnel construído pelo Hamas", afirmou uma fonte militar.

"Isto permitiu desbaratar a tentativa de infiltração e um grande ataque terrorista", completou.

O túnel terminava perto do kibutz de Sufa, sul de Israel. Durante o ataque, os integrantes do comando recuaram para a Faixa de Gaza, mas um deles morreu, segundo o exército.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.