Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Avião Twin Otter realiza evaquação de trabalhadores doentes na base científica americana Amundsen-Scott, no Polo Sul, no dia 22 de junho de 2016

(afp_tickers)

Um avião transportou com sucesso para o Chile dois integrantes da equipe de uma base científica americana no Polo Sul, que estavam doentes, nesta quinta-feira, depois de fazer uma escala na base britânica Rothera, na península antártica.

O bimotor Twin Otter "chegou a Punta Arenas, no Chile", a cidade mais austral do país, informou na quinta-feira um porta-voz da Fundação Nacional de Ciências (NSF) dos Estados Unidos, agência americana responsável pela base Amundsen-Scott, situada a 250 metros do polo Sul geográfico e a 2.200 km de Rothera, a cerca de 10 horas de voo.

"De Punta Arenas, os dos pacientes serão transportados para um centro médico para receber os cuidados que não podiam ser oferecidos na base Amundsen-Scott", acrescentou o porta-voz, Peter West, em um comunicado.

O Twin Otter chegou à base americana na terça-feira, após um voo de dez horas que decolou na base britânica Rothera, e deixou o local no início da manhã de quarta-feira, também em direção à Rothera.

Esta base britânica é utilizada pelo British Antarctic Survey, organização responsável pelos interesses do Reino Unido na Antártica.

A identidade dos pacientes e suas condições de saúde não foram reveladas.

A NSF disse apenas que se tratava de dois trabalhadores da empresa americana Lockheed Martin, responsável pela logística da base.

Na semana passada, a agência americana decidiu organizar esta operação de evacuação devido ao estado de saúde dos dois membros da equipe.

A missão científica no local conta com 39 homens e nove mulheres que permanecem lá durante todo o inverno austral.

Durante esse período, de fevereiro a outubro, a noite é quase permanente e as temperaturas são extremamente baixas. Na terça-feira, o termômetro marcava -60 graus Celsius.

Os voos são perigosos sob tais condições climáticas e na escuridão, e este tipo de operação, portanto, é arriscada e realizada apenas em casos excepcionais.

Esta é a terceira missão de evacuação realizada em pleno inverno nesta base. A primeira foi em 2001, quando o único médico da estação sofreu uma pancreatite potencialmente mortal e teve de ser evacuado com urgência.

No mesmo ano, foi realizada uma segunda evacuação médica bem-sucedida no local.

Em 1999, a então médica da estação americana, Jerri Nielsen, que sofria de um câncer de mama, teve que ser resgatada, mas a missão ocorreu na primavera, quando o clima é um pouco mais favorável.

O avião Twin Otter, que pode transportar 18 passageiros, é capaz de funcionar sob temperaturas de até -75°C. O combustível, as baterias e os circuitos hidráulicos contam com um sistema de calefação, utilizado principalmente antes da decolagem.

A estação Amundsen-Scott realiza um grande número de observações e medições científicas, incluindo a de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

O local possui, ainda, dois radiotelescópios que utilizam as micro-ondas da radiação cósmica de fundo deixadas pelo Big Bang para estudar o início do universo, a energia escura e a matéria escura.

AFP