AFP

(2008) Alfredo Leyva é escoltado após ser preso no estado mexicano de Sinaloa

(afp_tickers)

O narcotraficante mexicano Alfredo Beltrán Leyva foi condenado nesta quarta-feira à prisão perpétua por um juiz federal americano, em um novo golpe contra uma das organizações criminosas mais poderosas do México.

Alfredo Beltrán Leyva, também conhecido como "Mochomo", foi por mais de uma década considerado o responsável pelo tráfico de "múltiplas toneladas de cocaína e metanfetaminas para os Estados Unidos", declarou o departamento de Justiça em um comunicado.

"A sentença marca o fim do reinado de terror de Alfredo Beltrán Leyva", afirmou o subdiretor de investigações do FBI, Stephen Richardson.

O juiz Richard Leon, da Corte Federal do Distrito de Columbia, impôs ainda uma multa de 529 milhões de dólares ao traficante.

Segundo a acusação, a organização utilizou armas e participou de assassinatos, sequestros e tortura para manter sua operação de narcotráfico.

Beltrán Leyva, 46 anos, "dirigiu uma campanha de violência e medo que colocou sob seu controle comunidades da América do Norte", assinalou o vice-procurador Kenneth Blanco.

Conhecido como um dos líderes do cartel Beltrán Leyva, ao lado de seus irmãos, originários do estado de Sinaloa, a condenação de Alfredo "é um forte golpe" para esta organização, disse Peter Edge, investigador do departamento de Segurança Interna.

AFP

 AFP