Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumante segura um cigarro em uma rua de San Francisco, Califórnia

(afp_tickers)

Um tribunal do estado da Flórida determinou que a companhia de cigarros RJ Reynolds pague US$ 23,6 bilhões em danos à viúva de um fumante de longa data que morreu de câncer de pulmão, informou a justiça.

O veredicto, proferido nesta sexta e considerado um dos mais longos para uma única queixa na história da Flórida, também atribuiu mais de US$ 16 milhões em danos compensatórios ao espólio de Michael Johnson Sr.

Durante o julgamento de quatro semanas, os advogados da viúva de Johnson, Cynthia Robinson, argumentaram que a RJ Reynolds foi negligente ao informar os consumidores sobre os riscos do tabagismo, o que levou Johnson a contrair câncer de pulmão por fumar cigarro.

Eles afirmaram que Johnson se tornou dependente de cigarros e fracassou nas várias tentativas que fez para parar de fumar.

O júri do condado de Escambia chegou ao veredicto após 15 horas de deliberações.

"A RJ Reynolds assumiu um risco calculado ao fabricar cigarros e vendê-los a consumidores sem informá-los adequadamente sobre os perigos", declarou Willie Gary, advogado de Robinson, em um comunicado.

"Como resultado de sua negligência, o marido da minha cliente sofreu de câncer de pulmão e acabou perdendo a vida", prosseguiu.

"Esperamos que este veredicto envie uma mensagem à RJ Reynolds e outras grandes empresas de tabaco que as force a parar de colocar a vida de pessoas inocentes em risco", acrescentou.

A RJ Reynolds planeja apelar da decisão da corte e do veredicto, disse o vice-presidente e conselheiro assistente J. Jeffery Raborn.

A cifra foi "muito além do razoável e do justo", criticou em um comunicado publicado pela mídia local.

AFP