Navigation

Tribunal de Estrasburgo condena Rússia por expulsões de georgianos em 2006

O Tribunal de Estrasburgo estimou que em 2006 as autoridades russas realizaram uma política coordenada de detenção e expulsão de cidadãos georgianos. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. julho 2014 - 13:02
(AFP)

O Tribunal Europeu de Direitos Humanos (TEDH) condenou nesta quinta-feira a Rússia por ter realizado expulsões maciças de georgianos em 2006, dois anos antes do conflito armado que opôs os dois países.

O Tribunal de Estrasburgo estimou que em 2006 "as autoridades russas realizaram uma política coordenada de detenção e expulsão de cidadãos georgianos". Esta política tinha um caráter arbitrário, acrescentaram.

As expulsões de georgianos residentes em território russo foram decididas por Moscou em represália pela decisão da Geórgia, no fim de setembro de 2006, de deter e expulsar quatro oficiais russos suspeitos de espionagem.

Em pouco tempo, milhares de pessoas foram expulsas da Rússia à Geórgia. Esta política orquestrada acarretou "violações maciças de direitos humanos", alegou a representante do governo georgiano, Tina Burjaliani, na audiência ante o Tribunal realizada em junho de 2012.

O representante do governo russo, Grigory Matiuchkin, negou que tivesse ocorrido qualquer campanha antigeorgiana e lembrou que a Rússia tem "um direito soberano em matéria de controle da imigração". Sustentou que a expulsão dos georgianos expulsos ocorreu no âmbito de procedimentos normais.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.