Navigation

Tribunal francês ordena que Twitter comunique seus esforços contra mensagens de ódio

Logo do Twitter afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. julho 2021 - 18:31
(AFP)

Um tribunal francês ordenou nesta terça-feira (6) que o Twitter entregasse às associações que lutam contra a discriminação, em um prazo de dois meses, os documentos detalhando seus esforços para combater o racismo, sexismo e outras formas de discurso de ódio na rede social.

Seis associações levaram o Twitter a tribunais franceses no ano passado, acusando o gigante das redes sociais dos Estados Unidos de falhas "longas e persistentes" em bloquear comentários de ódio na rede.

O tribunal de Paris ordenou que o Twitter desse aos grupos acesso total a todos os documentos relacionados aos esforços da empresa para combater mensagens de ódio desde maio de 2020. A decisão se aplica ao Twitter internacionalmente, não apenas à França.

O Twitter deve entregar “todos os documentos administrativos, contratuais, técnicos ou comerciais” que detalhem os recursos alocados no combate ao discurso homofóbico, racista e sexista.

A empresa informou que está estudando a decisão do tribunal. “Nossa prioridade absoluta é garantir a segurança dos usuários”, garantiu o Twitter à AFP, destacando seu compromisso com o combate ao “ódio online”.

A empresa sediada em São Francisco teve dois meses para cumprir a decisão, que também afirma que deve divulgar o número de moderadores que emprega na França para examinar as mensagens marcadas como odiosas, assim como os dados sobre as mensagens desse processo.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?