Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Familiares dos 43 estudantes desaparecidos marcham em 26 de março de 2015 na Cidade do México

(afp_tickers)

Um tribunal mexicano ordenou na segunda-feira a revogação de uma ordem de prisão contra María de los Ángeles Pineda, esposa do ex-prefeito de Iguala, vinculado ao desaparecimento de 43 estudantes de Ayotzinapa, mas ela seguirá detida por outro crime, informou a procuradoria federal.

Um tribunal com sede em Toluca, estado do México (centro), ordenou "revogar a ordem de detenção contra María de los Ángeles Pineda Villa, apenas para o efeito de substituir o procedimento e eventualmente emitirá" uma nova acusação, explicou a procuradoria em um comunicado.

A esposa do ex-prefeito é irmã de dois importantes líderes falecidos que pertenceram ao cartel de 'Los Hermanos Beltrá Leyva', organização com a qual ela também foi relacionada.

A procuradoria esclareceu que a decisão do tribunal "em nenhum momento significa a liberdade de Pineda Villa", detida em uma prisão feminina de Nayarit (noroeste), sob outro processo por tráfico de drogas.

Pineda Villa e seu marido José Luis Abarca, ex-prefeito de Iguala (sul), foram detidos em novembro em uma casa abandonada de um populoso bairro da Cidade do México onde se escondiam depois de fugir de sua cidade, dias depois do brutal ataque contra os estudantes ocorrido em 26 de setembro.

O ex-prefeito é acusado, entre outros crimes, de ordenar que policiais municipais atacassem os jovens.

AFP