Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano, Donald Trump

(afp_tickers)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que o autor do massacre durante um festival de música em Las Vegas, que deixou 59 mortos e mais de 500 feridos, era um "doente", um "demente".

"Era um homem doente. Um homem demente, com muitos problemas", disse Trump aos jornalistas sobre Stephen Paddock, de 64 anos e que cometeu no domingo o maior massacre na história recente dos Estados Unidos.

O atirador cometeu suicídio em seu quarto de hotel, a partir do qual abriu fogo contra a multidão.

"Estamos tratando com um indivíduo muito, muito doente", completou o presidente, antes de viajar para Porto Rico.

Os investigadores tentam descobrir os motivos que levaram Paddock, um contador público aposentado sem vínculos políticos ou religiosos conhecidos, a cometer a chacina, reivindicada sem provas pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), em uma afirmação que as autoridades americanas encaram com ceticismo.

A polícia afirmou que Paddock quebrou a janela de seu quarto no 32º andar do hotel Mandalay Bay, no centro de Las Vegas, pouco depois das 22H00 de domingo (2H00 de Brasília, segunda-feira) e abriu fogo com armas automáticas contra milhares de pessoas que acompanhavam um festival de música country na rua.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP