Navigation

Trump: EUA 'apoiam o povo venezuelano'

Na Casa Branca, Bolton fala com a imprensa sobre a Venezuela afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. abril 2019 - 18:30
(AFP)

O presidente Donald Trump disse nesta terça-feira (30) que os Estados Unidos "apoiam o povo da Venezuela" e que está acompanhando muito de perto os acontecimentos depois que um grupo de militares se rebelou contra o governo de Nicolás Maduro.

"Estou acompanhando muito de perto a situação na Venezuela. Os Estados Unidos apoiam o povo da Venezuela e sua liberdade", afirmou Trump, cujo governo foi o primeiro a reconhecer o opositor Juan Guaidó como presidente interino do país.

O conselheiro de Segurança Nacional de Trump, John Bolton, convocou o ministro venezuelano da Defesa, o general Vladimir Padrino, o presidente da Suprema Corte, Maikel Moreno, e o comandante da Guarda Presidencial, Iván Hernández Dala, a abandonarem o presidente Maduro.

"Queremos ver o ministro Padrino, o juiz da Suprema Corte (Maikel) Moreno e Rafael Hérnandez Dala fora da Guarda Presidencial", disse Bolton, garantindo que os três haviam se comprometido a apoiar a saída de Maduro.

"Como a oposição em toda Venezuela sabe, eles se comprometeram a apoiar a derrocada de Maduro", declarou Bolton.

No tuíte, ele insistiu: "Sua hora é agora. Esta é sua última oportunidade. Aceitem a anistia do presidente interino Guaidó, protejam a Constituição e abandonem Maduro, e vamos tirá-los da lista de sanções".

"Se ficarem com Maduro, vão afundar junto com o barco", advertiu.

Bolton defendeu que a situação na Venezuela "não é um golpe de Estado" e reiterou que "todas as opções estão sobre a mesa".

"Claramente não é um golpe de Estado. Reconhecemos Juan Guaidó como o interino", insistiu Bolton, argumentando que "não é um golpe, se Juan Guaidó assume o controle dos militares venezuelanos".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.