Para o ex-embaixador britânico nos Estados Unidos Kim Darroch, Donald Trump retirou seu país do acordo nuclear iraniano porque o mesmo estava associado a seu antecessor Barack Obama, segundo documentos diplomáticos publicados pela imprensa.

"O governo aposta em um ato de vandalismo diplomático, ao que parece por razões ideológicas e de personalidade. Era o acordo de Obama", escreveu Darroch em um telegrama diplomático, em maio de 2018.

O documento faz parte de uma segunda série de informes confidenciais vazados e publicados pelo jornal "Mail on Sunday". A primeira provocou a demissão de Darroch na última quarta-feira.

Em maio de 2018, o então chanceler britânico, Boris Johnson, visitou Washington para tentar convencer o presidente americano a não retirar os Estados Unidos do acordo com o Irã, assinado em 2015. Em um telegrama enviado depois, Darroch dá conta das divisões na equipe de Trump envolvendo esta decisão, e critica a ausência de estratégias a longo prazo da Casa Branca.

O ex-embaixador também informou que o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, "distanciou-se sutilmente, falando em "decisão do presidente", durante suas conversas com Johnson. Segundo Darroch, Pompeo deixou entrever que havia tentado "vender" um texto revisado para Trump, publicou o jornal.

O governo britânico ordenou que seja investigada a origem dos vazamentos, enquanto a polícia abriu uma investigação sobre uma eventual violação das leis sobre os segredos oficiais.

A polícia britânica foi acusada hoje de ameaçar a liberdade de imprensa, por ter lançado advertências contra os meios de comunicação que publicarem documentos confidenciais.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.