AFP

O presidente americano acusou na sexta-feira Comey de mentir, um dia após a audiência no Senado do ex-diretor do FBI

(afp_tickers)

Donald Trump acusou neste domingo o ex-chefe do FBI James Comey de covarde por ter vazado para a imprensa informações comprometedoras de suas reuniões privadas nas quais o presidente americano pedia para parar parte das investigações sobre a interferência russa nas eleições americanas.

"Acredito que os vazamentos de James Comey serão muito mais relevantes do que qualquer um poderia pensar. Totalmente ilegal? Muito covarde!", escreveu Trump no Twitter.

O presidente americano acusou na sexta-feira Comey de mentir, um dia após a audiência no Senado do ex-diretor do FBI, que foi demitido de forma inesperada em 9 de maio.

Na audiência, Comey disse sob juramento que o presidente lhe pediu para desistir de investigar Michael Flynn, seu conselheiro de segurança nacional, na investigação sobre uma possível interferência russa.

Durante a audiência, Comey reconheceu ter vazado para a imprensa em maio, através de um amigo, um memorando sobre conversas pessoais que teve com Trump.

Essa confissão foi utilizada pelo advogado pessoal do presidente para ameaçar tomar medidas legais contra Comey.

Pessoas próximas a Trump também usaram este fato para atacar o ex-diretor do FBI.

"Ele entregou essas notas para um professor de Direito (da Universidade de) Columbia porque não foi homem suficiente para entregar as notas diretamente para a mídia quando queria transmiti-las à imprensa", declarou na sexta-feira o primeiro diretor de campanha de Trump, Corey Lewandowski.

AFP

 AFP