Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente Donald Trump discursa para soldados americanos e japoneses na base americana de Yokota

(afp_tickers)

O presidente americano, Donald Trump, advertiu neste domingo no Japão que "nenhum ditador" deveria subestimar os Estados Unidos, em uma referência quase explícita à Coreia do Norte, o tema dominante de sua viagem pela Ásia.

"Ninguém, nenhum ditador, nenhum regime deveria subestimar a determinação dos Estados Unidos", afirmou Trump aos soldados americanos e japonesas na base aérea de Yokota, 40 quilômetros ao oeste de Tóquio, poucas horas depois de seu desembarque no Japão.

Trump anunciou aos jornalistas a bordo do Air Force One que espera ter uma reunião com o presidente russo, Vladimir Putin, durante a viagem, como parte das tentativas da comunidade internacional de encontrar uma solução à crise com a Coreia do Norte.

"Acredito que está previsto que nos reunamos com Putin, claro. Queremos a ajuda de Putin com a Coreia do Norte. E vamos nos reunir com muitos líderes diferentes", disse.

A viagem, a primeira de Trump pelo continente e a mais longa de um presidente americano em 25 anos, acontece após vários meses de tensão entre Washington e Pyongyang.

O jornal do partido único que governa a Coreia do Norte, o Rodong Sinmun, pediu neste domingo a Trump que evite qualquer "declaração irresponsável".

"Caso os Estados Unidos cometam um erro de interpretação a respeito da vontade de ferro da Coreia do Norte, esta será obrigada a determinar uma punição impiedosa e resoluta (...) mobilizando todas as suas forças", afirma o editorial, também divulgado pela agência estatal KCNA.

Depois do Japão, Trump visitará Coreia do Sul e China, antes de participar da reunião de cúpula da APEC (Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico) no Vietnã e do encontro da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) em Manila.

- 'Aliado crucial' -

Trump tentou desde o início da viagem tranquilizar o Japão sobre o compromisso de Washington com a segurança do país. Mísseis norte-coreanos sobrevoaram a ilha nipônica de Hokkaido recentemente.

"O Japão é um sócio precioso e um aliado crucial dos Estados Unidos", afirmou.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, saudou "a visita histórica do presidente" ao país e declarou que deseja "reforçar ainda mais os vínculos da aliança EUA-Japão".

"Queremos ter o tempo para discutir diversos desafios internacionais, o primeiro deles a questão norte-coreana", afirmou à imprensa.

Nove meses depois de sua primeira partida de golfe, na Flórida, Trump e Abe tiveram um novo encontro em um campo de golfe, o Kasumigaseki Golf Club, que receberá a competição da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

A partida contou com um participante ilustre, o japonês Hideki Matsuyama, quarto colocado no ranking mundial.

Diante da imprensa, os dois assinaram bonês com a frase: "Donald e Shinzo fazem um aliança ainda maior".

- Pérolas japonesas -

Uma fonte americana explicou que durante a partida os dois governantes conversaram sobre comércio e Coreia do Norte. Mas evitou dizer que venceu: "Me disseram que nenhum dos três anotou o resultado".

A fonte destacou que "a estreita relação" entre os líderes americano e japonês "não tem precedentes" e suas estratégias "estão alinhadas".

Abe, que ganhou força após as recentes eleições legislativas antecipadas com uma ampla vitória de sua coalizão conservadora, apoia a política de Trump de exercer máxima pressão contra o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, e de afirmar que "todas as opções" estão sobre a mesa, o que dá a entender que a militar também é cogitada.

A visita ao Japão deve ser o momento mais relaxado da viagem de Trump pela Ásia. Os dois governantes devem encerrar o dia com um jantar em um famoso restaurante do bairro luxuoso de Ginza, em Tóquio.

As esposas dos dois políticos, Melania Trump e Akie Abe, visitaram a principal loja do grande fabricante de pérolas japonesa Mikimoto em Ginza, onde conversaram com algumas "ama", as tradicionais mergulhadoras que submergem em apneia para buscar as pérolas.

Na segunda-feira, Donald Trump se reunirá com representantes da comunidade empresarial americana e japonesa. Depois será recebido pelo imperador do Japão, Akihito, antes de um novo encontro com Abe, que terminará com uma entrevista coletiva conjunta.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP