AFP

Alumínio na fábrica Maaden, próximo à área industrial de Jubail, na Arábia Saudita, em 23 de novembro de 2016

(afp_tickers)

O governo de Donald Trump anunciou nesta quarta-feira o início de um procedimento especial contra as importações de alumínio dos Estados Unidos, ao avaliar que podem prejudicar os interesses nacionais em matéria de Defesa.

Do mesmo modo que fez com o aço, há alguns dias, Trump determinou a abertura de uma investigação com base no artigo 232 do Código de Comércio americano, um mecanismo raramente utilizado.

O secretário de Comércio, Wilbur Ross, informou em entrevista coletiva que as importações de alumínio cresceram 16% em 2016, e a produção nacional caiu.

"As subvenções chinesas tem provocado um excedente" no alumínio.

"Ao mesmo tempo que nossa indústria militar necessita de mais alumínio de alta qualidade, produzimos cada vez menos e temos apenas um produtor de alumínio que oferece a qualidade usada no setor aeronáutico", destacou Ross.

O artigo 232 foi usado na década de 70 durante a crise do petróleo. No caso do aço, foi empregado em 2001.

O departamento de Comércio tem agora 270 dias para examinar o tema e enviar suas conclusões ao departamento de Defesa.

Trump transformou em uma das prioridades do seu mandato proteger alguns setores industriais americanos, entre eles aço e carvão.

AFP

 AFP