AFP

O presidente americano Donald Trump em Miami, Flórida, no dia 16 de junho de 2017

(afp_tickers)

O presidente Donald Trump denunciou nesta sexta-feira, ante membros da comunidade cubana em Miami, o caráter brutal do regime em Cuba, em um discurso em que criticou o acordo assinado por Barack Obama, que "não ajuda aos cubanos e enrique o governo".

"Agora que sou presidente dos Estados Unidos denunciarei os crimes do regime de Castro", afirmou, destacando os sofrimentos dos cubanos "durante cerca de seis décadas". "Sabemos o que acontece e lembramos o que aconteceu", acrescentou.

Também assegurou que convém aos Estados Unidos "ter liberdade em nossa região, tanto em Cuba como na Venezuela".

O presidente americano defendeu "um futuro onde as pessoas de cada país possam viver seus sonhos".

"O regime Castro enviou armas à Coreia do Norte e incentivou o caos na Venezuela", afirmou, referindo-se aos protestos contra o governo de Caracas que desde 1o. de abril deixou 72 mortos.

Também pediu que o regime cubano liberte os presos políticos e prometeu um acordo melhor para cubanos e para os Estados Unidos.

AFP

 AFP