Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente americano, Donald Trump

(afp_tickers)

O presidente Donald Trump sugeriu à Comissão de Inteligência do Senado americano, nesta quinta-feira (5), que se concentre em investigar a imprensa, alegando, novamente, que os jornais divulgam "notícias falsas".

Essa comissão analisa a suspeita de conluio entre sua equipe de campanha na última corrida presidencial nos EUA e a Rússia.

Depois de revelações da rede NBC sobre a existência de uma forte tensão entre a Casa Branca e o secretário de Estado, Rex Tillerson, o presidente aconselhou os congressistas a não prestarem tanta atenção á suposta ingerência estrangeira na disputa eleitoral de 2016.

"Por que a Comissão de Inteligência não investiga as correntes de falsas informações no NOSSO país?", questionou o republicano, em um dos tuítes publicados hoje pela manhã.

Essa comissão do Senado tenta determinar o nível de ingerência da Rússia na eleição vencida por Trump, sobretudo, a partir de uma campanha de desinformação nas redes sociais. Também busca identificar eventuais vínculos de Moscou com a equipe de campanha do magnata nova-iorquino.

O presidente desmentiu informações sobre uma deterioração na relação com seu secretário de Estado.

"Tenho plena confiança" em Rex Tillerson, disse ele ontem.

Hoje, Trump garantiu que seu secretário "nunca ameaçou renunciar".

"Trata-se de notícias falsas da NBC News. Baixo nível de jornalismo e de informação. Nenhuma verificação comigo", tuitou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP