Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Troca de declarações entre a Coreia do Norte e a administração Trump desde a adoção de novas sanções pela ONU em 5 de agosto.

(afp_tickers)

O presidente americano, Donald Trump, afirmou que talvez sua ameaça de lançar "fogo e fúria" sobre a Coreia do Norte por sua corrida armamentícia talvez não tenha sido "dura o suficiente".

Falando ao lado do vice-presidente Mike Pence, Trump também disse que a China poderia fazer "muito mais" para pressionar Pyongyang a por fim a seu programa de armas nucleares.

"É hora de alguém defender o povo desse país e o povo de outros países. Talvez esta declaração não tenha sido suficientemente dura", disse o presidente em seu campo de golfe em Nova Jersey, onde passa férias.

"Acho que a China pode fazer muito mais" para deter as ambições nucleares da Coreia do Norte.

"Acho que a China pode fazer muito mais" sobre este tema, disse sobre o principal aliado econômico da Coreia do Norte, que no sábado passado votou as novas sanções adotadas pelo Conselho de Segurança da ONU contra Pyongyang por seu programa de mísseis nucleares.

Trump disse que a Coreia do Norte "deveria estar muito, muito nervosa. Porque vão lhe acontecer coisas que nunca pensou serem possíveis".

"Melhor a Coreia do Norte ficar esperta ou vai estar em problemas como poucas nações estiveram em problemas neste mundo, ok?", concluiu.

Pyongyang debochou mais cedo da falta "falta de sensatez" do presidente americano, em uma nova escalada verbal com os Estados Unidos, cujas bases militares na ilha de Guam no Pacífico ameaça atacar.

AFP