O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (12) que sua posição sobre Venezuela e Cuba é muito mais dura que a de John Bolton, demitido nesta semana como assessor de segurança nacional.

Um dia depois de o próprio Trump ter dito que Bolton "passou dos limites" com a Venezuela, o mandatário afirmou no Twitter que na verdade seu ex-conselheiro o estava "freando" em relação ao governo de Nicolás Maduro e também a de Cuba, principal apoiador de Caracas, segundo Washington.

"Realmente, meus pontos de vista sobre Venezuela, e especialmente sobre Cuba, eram muito mais fortes do que os de John Bolton. Ele estava me freando!", tuitou Trump.

Junto com seu tuíte, o presidente replicou outro do senador republicano por Florida Marco Rubio, descendente de cubanos e artífice da agressiva estratégia de Trump contra Maduro, cujo mandato considera ilegítimo.

Rubio, presidente do subcomitê de Relações Exteriores para o Hemisfério Ocidental, negou que a saída de Bolton represente um enfraquecimento da política americana para a Venezuela.

"Acabo de falar com @realDonaldTrump sobre a #Venezuela. É verdade que não concordei com algumas das opiniões do assessor anterior. Mas como ele me lembrou, na realidade (sua posição) é DIRETAMENTE OPOSTA do que muitos afirmam ou assumem. Se efetivamente a direção da política mudar, não será para enfraquecê-la", escreveu Rubio.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.