Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente Donald Trump fala, em 7 de setembro de 2017, com o vice-presidente Mike Pence durante uma reunião na Casa Branca com o emir do Kuwait Sabah al-Ahmad Al-Sabah

(afp_tickers)

Donald Trump afirmou, nesta quinta-feira, estar aberto a eliminar o teto do endividamento do governo federal, um assunto que costuma ser uma dor de cabeça para os presidentes dos Estados Unidos, mas defendido pelo partido republicano.

Pela segunda vez nesta semana, Trump foi contra o seu partido ao indicar que está aberto a eliminar todo limite ao "teto da dívida".

"Durante muitos anos se falou em eliminar totalmente o teto da dívida e há muitas boas razões para isso", afirmou o mandatário à imprensa na Casa Branca, antes de almoçar com o emir do Kuwait.

Trump disse que esse assunto foi abordado nesta quarta-feira, na reunião que teve sobre o assunto com os líderes dos partidos republicano e democrata.

O teto da dívida "complica as coisas. Realmente, não é necessário", afirmou.

A falta de acordos neste assunto já provocou ameaças de interrupção do funcionamento dos governos dos presidentes Barack Obama, Bill Clinton e George H.W. Bush.

Contudo, os republicanos alegam que esse teto do poder de endividamento federal é um freio ao gasto público e obriga o presidente a negociar com o Congresso reduções de gastos para elevar a capacidade de endividamento.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP