Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente americano, Donald Trump

(afp_tickers)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, referiu-se nesta segunda-feira à falta de provas no caso russo, e afirmou que os autores das denúncias contra ele deveriam pedir desculpas.

"Depois de quatro meses de olhar a Rússia com uma lupa, existem zero registros de conivência das pessoas de T (Trump)", tuitou Donald Trump, evocando o argumento de seus colaboradores no sentido de que não existe qualquer prova tangível de conluio com a Rússia durante a campanha presidencial.

"Não há conluio nem obstacularização (da justiça). Deveriam me pedir desculpas!", acrescentou.

Donald Trump voltou a atacar seu antecessor Barack Obama, a quem reprova por não ter feito nada contra a ingerênca russa, uma vez que, segundo o jornal The Washington Post, a CIA o teria alertado para a ação russa.

"A razão pela qual o presidente Obama não fez NADA a propósito da Rússia depois de ter sido informado pela CIA sobre a ingerência é que achava que (Hillary) Clinton venceria e não queria 'sacudir o barco'", assegurou o presidente na mesma série de tuítes.

AFP