Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano Donald Trump, no dia 11 de agosto de 2017

(afp_tickers)

O presidente americano, Donald Trump, considera exercer seu direito de indulto em favor de um controverso ex-xerife condenado recentemente por violar a proibição imposta por um juiz de patrulhamento ostensivo em busca de imigrantes em situação irregular.

"Considero seriamente perdoar o xerife (Joe) Arpaio", declarou Trump, em uma entrevista divulgada nesta segunda-feira no site da Fox News.

Segundo Trump, Arpaio é um "grande patriota americano" que "se envolveu muito na luta contra a imigração ilegal", acrescentou, e que "não merece ser tratado da forma como foi".

Arpaio, de 85 anos e fervoroso partidário de Trump, foi responsável por uma perseguição implacável, durante quase 25 anos no condado de Maricopa, estado do Arizona, contra os imigrantes latinos.

O xerife obrigava, entre outros castigos vexatórios, que os detidos sob sua custódia dormir em cabanas com um calor sufocante, vestidos com uma calcinha rosa.

A organização americana de defesa dos direitos civis, ACLU, expressou sua preocupação sobre a intenção de Trump de perdoar o xerife.

"Não nos equivoquemos: se trataria da promoção presidencial oficial do racismo", comentou Cecillia Wang, porta-voz da ACLU.

O direito de indulto é um poder conferido ao presidente americano, que segundo a Constituição, pode anular uma condenação emitida pela justiça federal, ou comutar a pena do condenado, ou seja, reduzir sua duração sem anular a sentença.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP