Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente americano, Donald Trump, em Washington DC, em 30 de agosto de 2017

(afp_tickers)

O presidente americano Donald Trump instou, nesta quarta-feira, o Congresso a baixar os impostos de empresas e pessoas, sem dar, contudo, detalhes sobre essa reforma fiscal, nem pistas de como financiar a redução da receita.

"Não temos opção. Temos que baixar os impostos", disse em Springfield, Missouri, na primeira etapa de uma viagem para promover a anunciada reforma fiscal.

"Peço a todos os membros do Congresso, democratas, republicanos e independentes, para apoiar uma reforma fiscal pró-americana, que permita destinar mais dinheiro aos bolsos dos trabalhadores", disse.

Trump não deu pistas de como seriam financiados os gastos do governo com a redução dos impostos.

Apesar de os republicanos terem maioria nas duas Câmaras, o tema não é uma unanimidade. Vários parlamentares republicanos se opõem a uma eventual alta do déficit fiscal.

"Nosso código tributário é autodestrutivo e custou milhões e milhões de empregos americanos e bilhões de dólares", afirmou Trump.

Ele lembrou que a última reforma tributária foi realizada em 1986, durante a presidência do republicano Ronald Reagan, e indicou que os Estados Unidos hoje precisam de um texto "simples, equitativo e fácil de entender".

Para Trump, a reforma fiscal permitiria alcançar a meta de crescimento econômico de 3%, seu objetivo anunciado. O presidente ainda disse que o país pode crescer "bem mais".

"Em vez de exportar nossos empregos, exportaremos nossos produtos", garantiu.

A reforma é muito complexa técnica e politicamente, mas Trump espera que seja adotada ainda nesse ano.

Contudo, há questões não resolvidas, como qual a magnitude exata da reforma do código fiscal e se a redução de 15% dos impostos às sociedades, anunciada pela Casa Branca em abril, se mantém ou será revisada?

Em seu discurso, Trump foi prudente. "Idealmente, queríamos chegar a uma redução de 15%", disse.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP