Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Le président turkmène Gourbangouly Berdymoukhamedov devant le Conseil des Anciens le 9 octobre 2017

(afp_tickers)

O presidente turcomano, Gurbanguly Berdymujamedov, anunciou nesta terça-feira (10), ter assinado uma lei que pode pôr fim à gratuidade do fornecimento de água potável, gás e de energia elétrica, da qual a população desse país da Ásia Central se beneficia desde 1993.

"Firmei a lei regulamentando o pagamento do gás, da água e da eletricidade (...) para a população do Turcomenistão", declarou Berdymujamedov no Conselho de Anciãos, uma assembleia consultiva sem poder legislativo.

"Discutimos com o governo a introdução de tarifas e vamos aplicá-las progressivamente", acrescentou.

Instaurado em 1993 por seu predecessor, Saparmurat Niazov, o sistema de Seguridade Social permitia a toda população turcomana se beneficiar gratuitamente de água potável, gás e eletricidade.

Por pessoa, essas vantagens eram limitadas a 35 quilowatts de eletricidade, a 50 metros cúbicos de gás por mês e a 250 litros de água diários.

Em junho, Berdymujamedov propôs pôr fim a esta medida, em princípio prevista para durar dez anos, mas que acabou sendo prolongada até 2030.

A queda dos preços do petróleo e do gás nos últimos dois amos teve um duro impacto nessa ex-república soviética, cujo subsolo abriga gigantescas reservas de hidrocarbonetos, em particular de gás natural, exportado em especial para a China.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP