Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas usando camisa escrita "herói" são escoltadas pela polícia turca até um veículo, em Antalya, em 22 de julho de 2017

(afp_tickers)

Cerca de 15 pessoas foram detidas na Turquia neste fim de semana por usar uma camiseta com a frase "herói". As autoridades interpretaram que se tratava de um apoio encoberto aos autores do golpe de Estado frustrado de 2016.

No sábado, foram presos um casal de Antalya e um adolescente de Canakkale por usarem as camisas com "herói" estampado, informou a agência de notícias Dogan.

As autoridades turcas acreditam que trata-se de um apoio disfarçado ao clérigo exilado nos Estados Unidos, Fethullah Gülen, a quem Ancara responsabiliza por ter incitado a tentativa de golpe de 15 de julho de 2016. Gülen nega a acusação.

Tudo começou em 13 de julho, quando um dos acusados de ter tentado matar o presidente Recep Tayyip Erdogan durante o golpe foi ao tribunal com uma camiseta em que se lia "herói".

Diante disso, Erdogan propôs na semana passada que as pessoas julgadas relacionadas com este caso usassem o mesmo uniforme, citando como exemplo os macacões laranja dos presos de Guantánamo.

Contando com os três detidos de sábado, as agências de notícia Dogan e Anatólia informaram que realizaram pelo menos 15 prisões deste tipo nesta semana.

Entre os presos está uma família processada relacionada ao golpe que foi ao tribunal de Ancara com a mesma camiseta.

Mas a maior parte dos detidos eram estudantes e operários que asseguraram não estar envolvidos na polêmica.

Pelo menos duas pessoas permanecem detidas à espera de um processo por "propaganda terrorista".

AFP