Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Multidão acompanha discurso de Erdogan em Istambul, em 15 de julho de 2017, durante evento que relembra aniversário de um ano da tentativa de golpe na Turquia

(afp_tickers)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou neste sábado (15) "cortar a cabeça" dos responsáveis pelo golpe de Estado frustrado ocorrido há um ano na Turquia.

Ancara acusa o pregador Fethullah Gülen de ser o mentor da iniciativa, o que ele nega.

"Antes de mais nada, cortaremos a cabeça desses traidores", declarou Erdogan em uma cerimônia que relembrava a intentona de 15 de julho de 2016, acrescentando que aprovará a restauração da pena de morte na Turquia, se for votada pelo Parlamento.

Erdogan disse ainda que os supostos golpistas que estão sendo processados deveriam usar um uniforme único, "como em Guantánamo".

"A partir de agora, façamos que se apresentem perante um tribunal com um traje único, como em Guantánamo. Um uniforme único", afirmou Erdogan, em alusão à vestimenta laranja usada pelos detentos suspeitos de "terrorismo" que estão na prisão militar americana de Guantánamo, em Cuba.

AFP