Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policiais à paisana interrompem protesto em apoio aos dois professores em greve de fome, em Ancara, em 10 de julho de 2017

(afp_tickers)

A polícia turca prendeu neste domingo dezenas de manifestantes em Ancara que apoiavam duas pessoas conhecidas por estarem em greve de fome, recorrendo ao uso de bombas de gás lacrimogêneo para dispersar o grupo, constatou um câmera da AFP.

Os manifestantes se reuniram no centro da capital turca para expressar sua solidariedade com Nuriye Gülmen e Semih Özakça, dois professores em greve de fome há quatro meses em protesto por sua demissão.

Mais de 40 manifestantes foram presos, informaram as emissoras CNN-Türk e NTV. Um deles afirmou que quebraram o seu braço enquanto resistia à detenção, segundo o câmera da AFP.

A polícia também usou canhões de água para dispersar aqueles que participavam do protesto.

Depois de se manifestar por mais de 100 dias contra a demissão, Gülmen e Özakça começaram em março a greve de fome.

Foram presos em maio acusados de pertencer a um grupo da esquerda radical proibido e a Procuradoria quer que eles cumpram 20 anos de prisão.

O Conselho da Europa pediu na quinta-feira às autoridades turcas que libertem os grevistas, considerando seu estado de saúde "preocupante".

AFP