Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan em 13 de junho em Ancara

(afp_tickers)

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou neste domingo que o ultimato da Arábia Saudita e seus aliados ao Catar, país que acusam de "apoiar o terrorismo", é "contrário à lei internacional".

"Apoiamos (a posição do Catar) porque consideramos que a lista de 13 demandas é contrária à lei internacional", afirmou o chefe de Estado turco, citado pela agência pró-governo Anadolu.

O governo do Catar classificou de "não razoáveis" as 13 exigências, que incluem o fechamento da emissora Al-Jazeera, a redução das relações com o Irã ou o fim de uma base turca no país.

Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito deram prazo de 10 dias para o Catar cumprir os 13 pontos.

Erdogan considera "uma falta de respeito com a Turquia" o pedido de retirada das tropas turcas no Catar.

A Turquia envia mantimentos por avião e mar ao pequeno emirado, submetido a um embargo dos vizinhos do Golfo, mas evita criticar diretamente Riad.

AFP